Relação cabelo-dor e meninas negras

11:15

Oi Pessoal!

Terminei a pouco tempo de ler o livro novo da Chimamanda Adichie "Para educar Crianças Feministas" em que a autora dá dicas para uma amiga, passo a passo, de como educar crianças de modo igualitário. Em uma das dicas ela diz para que sua amiga não crie sua filha para relacionar cabelo a dor como elas foram e isso desencadeou algumas reflexões que pretendo fazer durante o texto.

Sabemos que ,infelizmente, vivemos numa sociedade em que o valor da mulher ainda está muito ligado à sua aparência, um exemplo disso são os famosos slogans que dizem que "toda mulher merece se sentir bonita" ou "cada mulher é bonita em sua própria maneira". Todas acabamos por sofrer com a estética imposta e meninas e mulheres negras sofrem em dobro por não pertencerem aos padrões globais de beleza, que visam cabelos lisos e soltos ou no máximo ondulados mas nunca o crespo.

(créditos na imagem)
É a partir daí que começamos a usar dos mais variados produtos de alisamento ou químicas que deixem a raiz do cabelo crespo mais baixa ou colocamos apliques de cabelos lisos ou ondulados, machucamos nossos coros cabeludos e colocamos nossa saúde em risco pois querendo ou não, não sabemos como nosso corpo vai aceitar os produtos químicos que usamos.

Apesar de o cabelo crespo estar tendo mais visibilidade atualmente e a industria não vender alisamento como antes , voltamos a ser escravas da beleza e relacionarmos nosso cabelo a dor quando a industria mais uma vez, cria um padrão. E dessa vez o padrão é ter cachos perfeitos e brilhantes , o que óbvia mente não contempla todas as mulheres pois somos diferentes.


E mais uma vez submetemos nossos fios a pomadas e até procedimentos químicos que prometem uma definição perfeita. O problema é que a sociedade em que vivemos exige que performemos feminilidade e nos impõem um padrão para isso. Eu, por exemplo, tenho o cabelo igual ao da Viola Davis na foto acima ,e nos momentos em que o deixei dessa maneira fui constantemente comparada e confundida com um homem e sei que isso não foi um fato exclusivo na minha vida pois outras meninas negras também passam ou já passaram por isso.

As pessoas costumam  dizer que é apenas não se importar com o que os outros dizem ou pensam, que devemos nos orgulhar de como somos e etc.. O que a maioria delas não sabem é que nada é tão simples pois desde pequenas somos cobradas a performar feminilidade e temos um tipo x de feminilidade como referência, são coisas que internalizamos e que não são fáceis de desconstruir.

Por isso acho absurdamente errado quando vejo mulheres negras que fazem algum tipo de alisamento ou química para abaixar a raiz sendo expostas e julgadas.  Ninguém pode saber o que essas mulheres passam ou passaram, ninguém pode saber as dificuldades que ela passa ao estar fora do padrão de feminilidade.

Tudo isso só pode acabar quando a sociedade não tiver mais resquício de machismo,quando o patriarcado acabar e não existirem mais papéis de gêneros e principalmente, quando o racismo não mais existir e o branco não seja mais uma norma socialmente aceita.

Siga o blog e acompanhe as redes sociais FacebookTwitterInstagram e Tumblr, obrigada.

You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Curta a fanpage

Instagram Images